Rio Quente: Fernando Gonzaga começa a colocar a “casa em ordem”

Há exatos 15 dias, o município de Rio Quente vive momentos de total planejamento e reorganização no serviço público, apesar do clima de muita tensão herdado de atos promovidos pelo prefeito Rivalino Oliveira (PP), afastado por força de decisão judicial.

Desde que assumiu a cadeira do Executivo, Fernando Gonzaga (PSDB) tem encontrado múltiplos obstáculos, enfrentando inclusive, muita burocracia junto a instituições financeiras e total descaso da equipe do seu antecessor, e que ainda não foram substituídos.

Mesmo diante as dificuldades, o atual prefeito anuncia um novo modelo de gestão, imprime um calendário de muito trabalho e define prioridades, como por exemplo, a retomada de alguns projetos paralisados pela ineficiência administrativa anterior e o pagamento do funcionalismo público, feito hoje (11) após extensa jornada burocrática.

Gonzaga está confiante e acredita estar preparado para os desafios. Para ele, o mais importante é reunir o apoio, não só da classe politica, mas também de todos os vereadores, e especialmente da população de Rio Quente em prol de um projeto de reorganização administrativa.  “Sabemos que a administração precisa melhorar muito, e que falta infraestrutura, melhorias na saúde, melhores condições para os funcionários, entre outras coisas, mas temos fé que iremos conseguir e faremos um bom trabalho”, afirmou o prefeito.

Além do pagamento dos servidores municipais, o prefeito Fernando Gonzaga, conseguiu, mesmo em tão pouco prazo, reorganizar a coleta de lixo na cidade, paralisada por diversos fatores, inclusive falta de pagamento de combustível e frota sucateada.

 

Desfavorável

Afastado pela Justiça mês passado, o prefeito de Rio Quente, Rivalino Oliveira (PP) obteve nova decisão desfavorável ao tentar retornar ao cargo semana passada.  O desembargador Orloff Neves Rocha, do Tribunal de Justiça de Goiás, indeferiu pedido de liminar, seguindo entendimento jurisprudencial do STF.

A decisão manteve então, o vice-prefeito, Fernando Gonzaga (PSDB) no cargo de prefeito, pois, segundo ainda o desembargador, acatar o pedido de liminar proposto pelo prefeito afastado, poderia acarretar “dano irreparável ou de difícil reparação” à ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público.

Rivalino Oliveira os secretários, Reis Heleno de Rezende (Educação), Lazídio Inácio de Assunção (Controle Interno), os servidores Barnabé Moreira Neto (ex-presidente da Comissão de Licitação) e Fabiano Sabino de Moura e Otávio Marcolino dos Santos (pregoeiro) permanecerão afastados por 180 dias, segundo a decisão judicial, que tenta evitar a continuidade da pratica de atos de manipulação, fraude de documentos e coação de testemunhas e servidores, por parte dos acusados.

 

Teresa Cristina (Teka)

Agência News Jornalismo

 

About Teresa Cristina [Teka]

Check Also

PAINEL POLÍTICO (13/06/2024)

Caldas Novas | A disputa para eleições na cidade das águas quentes, segue polarizada. De …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *