29 de janeiro de 2022

Governador Marconi Perillo traz a Heineken para Goiás com investimento de R$ 650 milhões

O Governo de Goiás garantiu, hoje, mais um grande salto na industrialização e na movimentação da economia do Estado. Em solenidade no Palácio das Esmeraldas, o governador Marconi Perillo e o presidente da Heineken no Brasil, Didier Debrosse, assinaram protocolo de intenções para instalação de uma fábrica em Itumbiara, com investimento de R$ 650 milhões, e geração de 650 empregos diretos e indiretos. Segundo Debrosse, trata-se do maior investimento da empresa no país, que possui unidades em outros estados e investirá R$ 1 bilhão no Brasil até 2018, somado o valor em Goiás e a aplicação na ampliação de outras unidades instaladas em São Paulo e no Paraná.

Debrosse ressaltou que a Heineken é a 3ª maior cervejaria do mundo, criada há 150 anos na Holanda e trazida para o Brasil em 2010. Hoje, opera 165 cervejarias em mais de 70 países. A unidade de Itumbiara, que deve começar a produzir em 2018, terá capacidade de produção de 3,5 milhões de hectolitros por ano. A unidade começará a ser construída amanhã e deverá ser entregue em praticamente dois anos. De acordo com a empresa, o foco inicial de produção será nas marcas Heineken, Kaiser, Radler, Sol Premiun, Bavaria e Desperados.

O presidente agradeceu ao governador pela persistência e confiança, e por conhecer os caminhos do desenvolvimento de Goiás. “É um dia muito especial para nós. O mercado brasileiro de cervejas é um dos mais competitivos do mundo. A Heineken não trará para Goiás só benefícios econômicos, mas sociais, e também para as áreas da construção civil, setor imobiliário, educação, geração de empregos”, pontuou.

O vice-governador José Eliton declarou que o momento demonstra o pulso forte da economia goiana, cujos números continuam a impressionar o país. O prefeito de Itumbiara, Chico Bala, disse que o município recebe um grande presente no aniversário do município, e agradeceu ao governador pelo empenho e carinho com que sempre tratou a cidade.

Marconi lembrou que, em missão comercial pela Europa, visitou há 12 dias a sede da empresa em Amsterdã, na Holanda, e formalizou o convite para que a indústria se instalasse em Goiás. Segundo ele, a empresa estava realizando balanço anual e o diretor pediu que nada fosse divulgado durante esse período. “Dois dias depois a nossa secretária da Fazenda já tinha a resposta de que a Heineken seria instalada em Goiás”, afirmou o governador, ressaltando, em seguida, a importância das missões internacionais para a divulgação e atração de investimentos para o Estado.

“Este é um resultado concreto. É preciso apresentar, falar do nosso mercado consumidor. O presidente me perguntou se nós daríamos apoio para a plantação de cevada e para a implantação de uma fábrica de latinhas também em nosso Estado, e eu respondi que é claro que sim, que vamos apoiar toda a cadeia produtiva”, informou. “Quero dar boas vindas a uma empresa que trará o que há de mais moderno em termos de tecnologia no mundo”, completou.

A Heineken chegou a Brasil em 2010 e hoje tem fábricas em Jacareí (SP), Araraquara (SP), Gravataí (RS), Ponta Grossa (PR), Feira de Santana (BA) e Pacatuba (CE), com capacidade de produção de 19 milhões de hectolitros. A intenção é chegar a produzir 25 milhões de hectolitros em 2018, com os investimentos anunciados hoje.

Desde que chegou ao Brasil, em 2010, este é o maior investimento que a empresa faz no país. A fábrica de Itumbiara vai contribuir com 3,6 milhões de hectolitros. E atenderá principalmente os mercados das regiões Centro-Oeste, Nordeste e também Minas Gerais, além de complementar os demais mercados.

Nosso país é o terceiro maior consumidor mundial de cerveja. Consome cerca de 210 mililitros de cerveja per capita/dia. A fábrica de Itumbiara será instalada numa área de 870 mil metros quadrados, a cerca de 15 quilômetros do  Centro da cidade. A construção da planta ocupará apenas 40% do terreno, preservando a área verde local.

A empresa informa que todas as medidas de última geração serão adotadas por ela para causar o mínimo impacto ambiental, trazendo índices de referência mundial de consumo de água e energia elétrica e térmica.

Sobre Teresa Cristina [Teka]

Teresa Cristina [Teka]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*