Últimas Notícias
Capa / Destaques / Marconi diz que deve chegar ao final do ano com o problema das rodovias praticamente solucionado

Marconi diz que deve chegar ao final do ano com o problema das rodovias praticamente solucionado

 

Marconi-Perillo-Agência-O-Globo

Segundo ele, Goiás tem hoje 80% de rodovias em bom estado de conservação e 2 mil quilômetros precisando de reconstrução.

O recurso para esse trabalho já foi conseguido e a Agetop deve licitar e praticamente zerar esse problema até o final do ano. Para ele, quem apostar contra vai perder.

Ao conceder entrevista às rádios de municípios da Região Sul de Goiás, na manhã de hoje, no Palácio das Esmeraldas, o governador Marconi Perillo falou de várias ações administrativas que estão sendo desenvolvidas na região, enfatizando que quer chegar ao final do ano com a recuperação das rodovias muito bem encaminhada.

Disse também que pediu a confiança do povo para solucionar o problema da área da Saúde e conseguiu êxito e agora quer a mesma anuência na Educação e tem certeza que conseguirá melhorá-la. Falou ainda sobre o trabalho para o combate ao mosquito Aedes aegypti, ações na busca de investimentos e sobre o desenvolvimento do turismo na região Sul, entre outros assuntos. A seguir, trechos da entrevista.

Recuperação de rodovias

Nós autorizamos 212 milhões de reais para manutenção e conserva dos 21 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e não pavimentadas. À exceção de 1 mil  e 100 quilômetros que precisam ser reconstruídos, nós estamos entrando em todas as outras rodovias. É claro que a gente não consegue entrar em todas de uma vez, mas nós estamos pagando regularmente as empresas e a ordem é que elas entrem em todos os trechos onde haja necessidade de roçagem das laterais, de tapa-buraco ou de reconstrução de trechos, bueiros, enfim. O programa de manutenção é um programa que vai melhorar demais a situação. Agora, têm alguns trechos que, como já disse, não adianta remendo. É preciso fazer de novo. Nós já estamos nos preparando para começar logo isso. Nós temos hoje 80% de rodovias em bom estado de conservação. Mil quilômetros em Estado ruim. E mil quilômetros em estado precário. Esses 2 mil quilômetros já estão licitados e estão no pacote do Rodovida Construção 3. Nós tínhamos feitos já o Rodovida I e II que significou em 5 mil quilômetros reconstruídos. Não tivemos recurso ano passado para fazer o Rodovida III. Mas teremos os recursos agora no ano de 2016. E logo esses recursos sejam disponibilizados nós vamos dar ordem de serviço para as empresas entrarem nesses trechos ruins e resolverem definitivamente o problema. Mas essas estradas não dependem mais de tapa-buraco. Muitas delas precisam arrancar o asfalto velho e fazer de novo. Não vou autorizar nada antes de ter o dinheiro. Já estamos viabilizando os recursos para entrarmos e chegarmos no final do ano com essa situação muito bem direcionada.

 

Reparo nas rodovias 

Agradeço a todos que ajudam especialmente nessa época de crise. Todo mundo está vendo que o Brasil está de cabeça para baixo. Nunca vi uma crise político-econômica tão séria como essa que estamos vivendo. Mas mesmo assim nós estamos trabalhando para resolver as coisas. Eu agradeço a colaboração dos que querem ajudar, dos que precisam ajudar para escoar sua produção. Mas eu dou a garantia que nós estamos trabalhando as rodovias do Estado com manutenção. Começamos agora em fevereiro. E ele vai surtir efeito. Eu espero que no ano que vem nesse período não haja necessidade de nenhum tipo de colaboração. Mas este ano toda recuperação que vier é bem-vinda. Queria aproveitar que estou falando também para as emissoras de Caldas que eu tenho informação sobre o Estado das rodovias (já fui lá, inclusive) que ligam Caldas até Pires do Rio e a Ipameri. Eu tenho conhecimento, andei lá, sei que a estrada está precária. Ela se inclui nos 10% de rodovias precárias. Mas quero informar que nós já fizemos o projeto e a licitação. Estamos agora viabilizando o dinheiro para ir lá, arrancar o asfalto velho e fazer outro. Lá não tem jeito de tapar buraco. Nós vamos fazer outro e fazer bem feito. A mesma coisa em relação à duplicação. Viabilizando os recursos agora, em no máximo 60 dias, quando nós dermos a ordem de serviço, vamos atacar pra valer as obras de duplicação Morrinhos/Caldas Novas.

 

Turismo no Rio Paranaíba

Isso é uma nova filosofia que está sendo implementada pelo presidente da Goiás Turismo, o competente secretário Leandro Garcia. Esse arranjo que está sendo feito nessa região vai ser reproduzido na outras. É um modelo, um conceito, que tem por objetivo fomentar o turismo nos destinos turísticos do Estado e, principalmente, atração do turismo para Goiás, a promoção do turismo goiano.

 

OS na Educação

Olha, eu pedi o voto de confiança para mudar os hospitais estaduais e eles mudaram da água para o vinho. Hoje os nossos hospitais são referência para o País, inclusive melhores que muitos hospitais privados. Eu estou pedindo um voto de confiança para mudar a Educação, começando por algumas cidades, primeiramente Anápolis. Tenho certeza que vamos mudar a Educação também. E estamos mudando a Segurança Pública com a chefia do vice-governador na pasta. Nós mudamos os comandos, estamos trabalhando duro contra a bandidagem, a criminalidade, e eu tenho certeza que na Segurança o resultado já começa a ser visto e será muito positivo também. E quem estiver apostando no insucesso do nosso governo vai cair do cavalo.

 

Taxas de Detran 

Esse é um assunto técnico que vou tratar com o Detran. Mas eu isentei, muitos anos atrás, o pagamento de IPVA no primeiro ano da compra do veículo. E também reduzi para 50% o valor para motos de 125 cilidradas e veículos de mil cilindradas. Essa política foi instalada por mim em governos anteriores e continuou.

 

Aedes

A participação dos prefeitos foi fundamental. Os prefeitos, os seus secretários de Saúde, as comunidades, os agentes de Saúde e os voluntários. Fizemos uma grande união com os prefeitos, com as secretarias municipais de Saúde, governo estadual, governo federal, e conseguimos avançar muito em relação ao mosquito Aedes, em relação à Dengue, ao vírus Zika e à Chikungunya. Nós começamos em janeiro as visitas aos domicílios, envolvendo uma força-tarefa com 20 mil colaboradores, entre bombeiros, policiais, agentes de saúde e voluntários. E, neste aspecto, registro que, tanto o prefeito de Caldas, de Itumbiara e o prefeito de Goiatuba foram sempre presentes, foram fundamentais para que essa ação desse certo. Também os outros prefeitos entraram pra valer em auxílio a esse trabalho. Hoje nós temos a melhor coordenação contra o Aedes no Brasil [palavras do Ministro da Saúde em reunião semana passada, em Brasília]. A cada 30 segundos nossa central de inteligência é atualizada com os dados que vão chegando pelo computados das residências que são visitadas. Em janeiro, para vocês terem uma ideia, foram visitados 1 milhão, trezentos e poucos mil domicílios em Goiás. Em fevereiro, 1,6 milhão de domicílios foram visitados. E agora, em março, nós vamos chegar de novo a mais ou menos 1,6 milhão de domicílios. É importante fazer esse trabalho durante o período de chuva, porque é na chuva que concentram mais as larvas e o mosquito do Aedes. Agora, qual foi a diferença que nós fizemos conjuntamente em relação à redução dessas doenças. Em janeiro, nós tínhamos 4% de domicílios infestados, com depósitos de larvas e de mosquito no Estado. Em fevereiro, esse número caiu para 2,1% e em março esse número está caindo para 1,4%. Nós queremos que em abril a gente chegue a menos de 1% de domicílios com depósitos do Aedes.

 

Heineken e investimentos

Tenho tido total facilidade de trabalho com os prefeitos. Fernando, de Goiatuba; Chico Bala, de Itumbiara, e Evandro Magal, de Caldas Novas, que são os prefeitos das cidades onde suas emissoras estão instaladas. Quanto à Heineken, é uma grande conquista para a Região Sul. Ela vai gerar empregos para toda a Região Sul e, principalmente, para Itumbiara. Foi uma negociação longa que fizemos, em dois anos. Fui à Holanda e finalmente trouxemos a fábrica. Ela vai acontecer e vai ser uma grande geradora de oportunidades. Quando tiver tudo pronto, vou a Itumbiara fazer o lançamento.

 

Saúde

A verdade é que o Governo Federal diminuiu expressivamente os recursos para o SUS. Hospitais privados ou filantrópicos ou mesmo públicos têm tido muitas dificuldades porque o Governo Federal paga muito mal as consultas, os leitos de UTI`s e as internações. Nós, para ajudar os hospitais que não são de responsabilidade do Estado, temos celebrado alguns convênios com alguns hospitais tentando ajudá-los com alguma parcela de recursos. No ano passado, fizemos um convênio para ajudar os hospitais. Como essa crise econômica nacional é terrível, todos os Estados fizeram redução de receitas, o que não foi diferente em relação a Goiás. Só em fevereiro a receita de ICMS do Estado caiu mais de R$ 130 milhões, porque as pessoas estão perdendo os seus empregos e comprando menos. O dinheiro está curto e a arrecadação de impostos caiu. Eu pedi à secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, para receber hoje as lideranças de Itumbiara, os deputados e o prefeito Chico Bala para buscarem uma solução em relação ao convênio dos hospitais com o Estado. É importante registrar que nós temos um convênio que foi feito no ano passado e ele será pago. Quando for pago, o Estado não terá mais compromisso. Aí a população tem que cobrar de quem é de direito, do SUS, do Governo Federal que é quem tem a responsabilidade com esses hospitais. Em hipótese alguma nós poderemos renovar esses convênios. Depois as pessoas não conseguem resolver esse problema e querem jogar a culpa no governo do Estado. Essa responsabilidade é privada e federal. Não dá pra gente querer ajudar e depois ficar com a culpa. Em relação aos hospitais administrados pelo governo do Estado nós não estamos tendo esse tipo de problema. Hospitais que estão aqui em Goiânia e em outras partes do Estado. São grandes hospitais de Urgências. Em relação a isso nós estamos com hospitais de altíssimo nível.

 

IML de Itumbiara

Eu já determinei ao secretário de Segurança que priorize a conclusão dessa obra. Infelizmente em alguns casos há contratempos. Lamentavelmente, temos algumas obras que são verdadeiras cabeças de burro enterradas. Estamos trabalhando para desenterrá-las”.

 

Obras para Goiatuba

Eu asfaltei a rodovia que liga Goiatuba a Panamá. Há dez anos reconstruí o trecho para Vicentinópolis, e vou fazer de novo. Nós fizemos o trecho que vai até a BR-060. Ajudei muito na área da educação. Instalamos o Vapt Vupt, Corpo de Bombeiros, fizemos muitos convênios, Escola Militar, ajudei a asfaltar bairros. É claro que quando a gente tem um prefeito que trabalha mais próximo, que é mais parceiro, facilita mais. Isso é verdade. E eu posso dizer que não tenho tido dificuldade de trabalhar com Goiatuba.Marconi-Perillo-Agência-O-Globo

Sobre Tylara Pinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*