ūüö®‚öĖ¬†#Corumba√≠ba¬†| MP DENUNCIA EX-PRESIDENTE DA C√āMARA E MAIS OITO

55622731_1523755031095243_7844947754022338560_n

O Minist√©rio P√ļblico de Goi√°s denunciou o ex-presidente da C√Ęmara Municipal de Corumba√≠ba, Urias Oleg√°rio da Silva Neto, a ex-chefe de controle interno Mariana Guimar√£es da Silva, a ex-assessora parlamentar Renata Maria Mendes, al√©m de Divina Cristina Souza, Rosane Coelho, Euler de Almeida, Jana√≠na Diniz, Loyde Dias e Tah√≠s da Silva. Eles responder√£o, de acordo com sua participa√ß√£o, por¬†desvio de dinheiro p√ļblico (peculato) e pelo crime de organiza√ß√£o criminosa, resultante de um esquema em que o vereador e as servidoras do Legislativo compravam material de constru√ß√£o com dinheiro p√ļblico, beneficiando os outros cinco denunciados e, em alguns casos, a si mesmos.

A promotora de Justi√ßa Gabriela Rezende Silva, respons√°vel pelo caso, adianta que, embora o grupo seja alvo desta den√ļncia, as investiga√ß√Ķes continuam, principalmente em rela√ß√£o √†s aquisi√ß√Ķes de combust√≠vel e de outros produtos nos anos de 2017 e 2018, per√≠odo em que Urias Oleg√°rio presidia o Legislativo municipal.

O CASO
Consta da den√ļncia que Urias Oleg√°rio, Mariana e Renata formaram um grupo para cometer crimes contra a administra√ß√£o p√ļblica, desviando dinheiro que tinham a posse, em raz√£o do cargo, em proveito pr√≥prio e de Divina, Rosane, Eules, Tah√≠s, Jana√≠na e Loyde. O MP aponta que o ex-presidente da C√Ęmara autorizava as despesas e os pagamentos, enquanto as comissionadas Mariana e Rosana eram funcion√°rias de extrema confian√ßa de Urias, cumprindo suas ordens no esquema.

Portanto, eles foram respons√°veis pela compra de material de constru√ß√£o para doa√ß√£o a particulares, posteriormente pagos com recursos da C√Ęmara. Urias determinava que as funcion√°rias comprassem os produtos na conta do Legislativo no com√©rcio local, gerando um comprovante de recebimento que era assinado pelo benefici√°rio ou por quem havia autorizado diretamente a compra (Mariana ou Renata), sendo o material entregue na casa do beneficiado. Depois, as notas eram pagas pelo Legislativo, por meio de seu presidente.

Entre os produtos comprados irregularmente estavam cimento, areia e tinta entregues a Loyne; cimento e uma porta para Jana√≠na; cimento para Tah√≠s; tinta para Divina; ducha, veda rosca, fita isolante, assento, parafusos, buchas, boia e cantoneira para o pr√≥prio ex-presidente da C√Ęmara. Tamb√©m foram adquiridos rejunte, argamassa e cer√Ęmica para Rosane; cimento para Euler, sendo ainda, em um dos casos, adquiridos cinco sacos de cimento que n√£o foram entregues, mas cujo valor foi retirado de um d√©bito que Divina, uma das benefici√°rias do esquema, tinha com a empresa. A promotora acrescenta que est√£o sendo investigados o destino de outros produtos de constru√ß√£o comprados no com√©rcio local em nome da C√Ęmara. (Texto: Cristiani Hon√≥rio/Assessoria de Comunica√ß√£o Social do MP-GO).

Siga nosso perfil no Instagram: https://instagram.com/agencia.press

Agência Press |Notícias |Jornalismo
Marketing Digital | Redes Sociais

Sobre Teresa Cristina [Teka]

Teresa Cristina [Teka]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*