Últimas Notícias
Capa / Goiás / Cidades / Caldas Novas / 🚔🚨 #CaldasNovas | “BRINCADEIRA” TERMINA COM VIGILANTE BALEADO

🚔🚨 #CaldasNovas | “BRINCADEIRA” TERMINA COM VIGILANTE BALEADO

67819409_1635726836564728_8857646822751993856_n

Um vigilante penitenciário foi baleado, na manhã deste domingo (11), por um colega de trabalho durante uma “brincadeira”envolvendo tiros de festim dentro da Unidade Prisional (UP) de Caldas Novas. A vítima J.B, estava de serviço quando foi atingido por disparos efetuados por G.F, também vigilante do presídio, que teria confundido a arma municiada com festim com o armamento carregado com munições letais. As informações são do registro da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO).

A vítima foi atingida por dois disparos: um na barriga e outro no braço. Os vigilantes estariam com as armas municiadas com projéteis letais no coldre da cintura e os armamentos com tiros de festim nas mãos. Após receber dois tiros de festim, o autor teria se confundido com as armas e disparado contra a vítima. Ao notar que o colega sangrava, percebeu ter atirado com o armamento errado. Ele levou a vítima para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) local, onde foi atendido pela equipe médica.

Em nota, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que tomou as providências cabíveis e que o autor já foi demitido. Também foi aberto um procedimento interno para apurar o caso.

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes Prisionais, Maxsuell Miranda, o ocorrido não foi uma brincadeira, mas uma discussão entre autor e vítima. “Isso mostra o despreparo e a imperícia dos envolvidos. Eles [DGAP] estão dizendo que eram tiros de festim, mas na verdade o que ocorreu foi uma discussão entre os dois, que resultou nessa tragédia”, declara.

“Um servidor que efetua e alveja com dois disparos outro servidor está preparado para exercer nossa profissão? Claro que não! Uma pessoa assim pode fazer uma chacina dentro da UP e você ser preso junto com ele por omissão”, completa.

Por ter se apresentado espontaneamente acompanhado de seu superior e, também, por ter prestado socorro à vítima, o delegado Rogério Moreira decidiu não decretar a prisão de G.F. Um inquérito policial foi aberto para apurar as circunstâncias do ocorrido.

Ainda não há informações atualizadas sobre o estado de saúde do vigilante baleado.

Siga nosso perfil no Instagram: https://instagram.com/agencia.press

Agência Press |Notícias |Jornalismo
Marketing Digital | Redes Sociais

Sobre Teresa Cristina [Teka]

Teresa Cristina [Teka]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*