Últimas Notícias
Capa / Goiás / Cidades / Caldas Novas / Vereadores propõem investigação sobre tomógrafo de Caldas Novas e vice prefeito rebate acusações

Vereadores propõem investigação sobre tomógrafo de Caldas Novas e vice prefeito rebate acusações

MG_5692-Large-800x445-horz

Recentemente os vereadores Rafael Moraes e Andrei Rocha, ambos do PTB, propuseram investigação junto à Secretaria Municipal de Saúde de Caldas Novas, para saber porque o tomógrafo da rede pública do município não está em funcionamento e se o motivo seria para ‘beneficiar hospital particular’.Quando perguntamos por qual motivo não se usa um aparelho que custou caro ao erário e que, funcionando, seria extremamente útil aos moradores da cidade e até de outros municípios, recebemos como resposta, claramente insatisfatória, que está ‘com defeito’. Ora, se está ‘estragado’, por que não o consertar o mais rápido possível? ”, avalia Rafael Moraes.

À imprensa, o vereador sublinhou que, “o que comenta se na cidade, é que o tomógrafo não é utilizado, na verdade, única e exclusivamente para beneficiar o Hospital Nossa Senhora Aparecida, que pertence a uma associação de médicos”. Em suas declarações, o parlamentar afirmou ainda, que o vice-prefeito e médico, Dr. Fernando Rezende, é o presidente da Associação em questão. “Estou dizendo que há uma irregularidade flagrante e conluio entre a Secretaria da Saúde e o pessoal do hospital? Não. O que estamos sugerindo é uma investigação para que se compreenda de fato o que está ocorrendo”, destaca.

De acordo  com o vereador, estão sendo examinadas cinco caixas de documentos repassados aos parlamentares pela Secretaria da Saúde. “Esclareço que pertenço à base do prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal [PP]. Portanto, a investigação conta com o seu aval”, garantiu Rafael, que emendou afirmando, que após examinados os documentos, a Câmara Municipal deve convocar tanto os representantes da Secretaria da Saúde quanto os proprietários do Hospital Nossa Senhora Aparecida e em seguida, conforme o desenrolar da investigação, propor a criação de uma Comissão Especial de Inquérito [CEI].

EM DEFESA

O vice-prefeito, médico e diretor do Hospital Nossa Senhora Aparecida saiu em defesa da instituição de saúde e divulga nota esclarecendo alguns pontos a respeito da publicação do vereador Rafael Moraes. Segundo ele, seria melhor que o parlamentar explicasse o por que da “ira em relação a autorização de um determinado exame de tomografia e em relação à regulação” e segue rebatendo o que foi dito pelo vereador. Acompanhe na integra a nota.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A respeito da publicação do nobre vereador Rafael Moraes devemos esclarecer:

  1. Que o tomógrafo de 16 canais do Município está com defeito há mais de um na
  2. Que por deliberação da Secretaria de Saúde nas gestões anteriores, a administração optou-se pelo convênio com o Hospital Nossa Senhora Aparecida, através de edital de chamamento público, o qual foi homologado pelo Conselho Municipal de Saúde para realização de exames de tomografias;
  3. Que o município por sua deliberação decidiu pela prorrogação do contrato para os três primeiros meses do ano corrente;
  4. Que a partir do momento que o prefeito solicitou minha ajuda para solucionar o problema do tomógrafo, (fevereiro 2017) solicitei a quem realiza manutenção da máquina para definirmos ações.
  5. Como o responsável pela manutenção participou de uma licitação no ano passado para conserto do equipamento e foi o vencedor, fizemos a ele a proposta, junto com o prefeito, secretários de saúde e finança de que a máquina seria levada para Goiânia para se estabeleceu o motivo da queima do tomógrafo de 16 canais e resolver de vez o problema e solicitei que nos emprestasse uma máquina para realizar exames no município enquanto a outra ficaria no conserto.
  6. Assim foi feito, o tomógrafo de 16 canais está sendo consertado após ficar mais de um ano em um container, e há uma máquina realizando tomografias no PAI, resolvendo o problema da fila na regulação;
  7. Reunimos com a diretora da regulação e com a chefe do setor de radiologia para não ser permitido fura fila, de toda origem;
  8. Ainda sobre exames no Hospital Nossa Senhora Aparecida, os mesmos só eram realizados com devido encaminhamento da regulação, e que o município tem uma dívida com o Hospital de exames realizados desde o ano passado.
  9. Que mostrei ao prefeito, com várias testemunhas que iria rescindir o contrato de mais de quatro anos com do Hospital com o município, mas que se definiu pela prorrogação por mais três meses, visto risco de ficarmos sem um exame tão necessário;
  10. Que o vereador terá que comprovar judicialmente suas acusações em relação ao Hospital (que é apenas um executor de serviços) e a minha pessoa dizendo que sou presidente de uma associação de médicos.
  11. Pergunta-se ao nobre vereador: porque não explica a seus eleitores o motivo da ira em relação a autorização de um determinado exame de tomografia e em relação regulação.

Até o fechamento desta matéria, não recebemos a contra resposta do vereador Rafael Moraes sobre os esclarecimentos prestados pelo médico e vice prefeito de Caldas Novas. Dr. Fernando Resende. O espaço continua aberto para todas as partes envolvidas no assunto, inclusive ao Secretário de Saúde, Dr. José Ricardo, caso queira manifestar de forma oficial.

[Agência Press]

 

Sobre Teresa Cristina [Teka]

Teresa Cristina [Teka]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*