Últimas Notícias
Capa / Destaques / Deputados cogitam CPI para investigar Goiás Turismo

Deputados cogitam CPI para investigar Goiás Turismo

LEANDRO

Durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 5, os deputados Cláudio Meirelles (PR) e Humberto Aidar (PT) repercutiram, da tribuna, o discurso de Santana Gomes (PSL), que cogitou a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para averiguar a realização de eventos pela Goiás Turismo. Segundo Gomes, o governador Marconi Perillo (PSDB) não comunga com as ideias e as supostas práticas irregulares do presidente da Agência, Leandro Garcia.

Em dezembro do ano passado, o Ministério Público (MP) chegou a solicitar a suspensão do Réveillon, Goiânia 2017, mas a Justiça Estadual negou o pedido, confirmando a realização do evento. Os promotores do MP questionaram os procedimentos de contratação e realização do evento, referentes ao pagamento às empresas contratadas.

Também em discurso, Cláudio Meirelles fez críticas à Goiás Turismo. Segundo o parlamentar, o órgão do governo estadual tem dado prejuízos ao erário público, principalmente relacionados à realização de shows. Ele mostrou documento do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que indicaria superfaturamento na contratação de show. Uma mesma dupla de artistas teria sido contrata pelos valores de R$ 55 mil e R$ 150 mil num curto espaço de tempo.

“Eu quero ajudar o Governo. Não tem dinheiro para pagar o servidor público, mas tem dinheiro para pagar isso. Essa Goiás Turismo virou um piada”, disse Cláudio Meirelles.

Por sua vez, Humberto Aidar defendeu a convocação de Leandro Garcia, para explicar as “centenas de denúncias de irregularidades na contratação e realização de shows pela Agência”. O deputado ocupou a tribuna em encaminhamento de voto durante a apreciaçãod a Ordem do Dia desta quarta-feira, 5.

“Não precisa convidar, ele é obrigado a comparecer. Onde já se viu um show que custa R$ 30 mil, mas que pela Goiás Turismo sai a R$ 60 mil? Temos que investigar essa maracutaia de shows que acontecem Goiás afora. Não tem dinheiro para pagar os servidores públicos, mas sobra dinheiro para isso”, disparou.

 

[Fonte: Assembléia Legislativa de Goiás]

Sobre Teresa Cristina [Teka]

Teresa Cristina [Teka]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*