Últimas Notícias
Capa / Goiás / Cidades / O municipalismo é minha causa”, diz Marconi em reunião com AGM e 60 prefeitos

O municipalismo é minha causa”, diz Marconi em reunião com AGM e 60 prefeitos

Marconi Perillo - AGM - Paulinho Sérgio - Foto Henrique Luiz 02
O governador Marconi Perillo afirmou nesta quinta-feira (6/4), durante reunião com a diretoria da Associação Goiana dos Municípios (AGM), com as presenças de 60 prefeitos, que prosseguirá trabalhando dia e noite para executar todas as obras estabelecidas no Programa Goiás na Frente, apresentado à população de Goiás no último dia 30. Marconi pediu aos prefeitos que, de sua parte, também mobilizem suas equipes para que as administrações municipais realizem as obras locais contempladas com os R$ 500 milhões previstos para as cidades no programa. “O municipalismo é minha causa”, disse Marconi.
 
“Vou atuar diuturnamente, com muita determinação, para que todas as obras saiam e possamos cumprir e até ultrapassar aquilo que foi acordado. Planejamos o Goiás na Frente com os pés no chão, com todos os recursos assegurados”, afirmou, acompanhado pelo vice-governador José Eliton e pelo senador Wilder Morais. Da reunião participaram o prefeito de Hidrolândia e presidente da AGM, Paulo Sérgio Rezende, o secretário de Articulação Política, Sérgio Cardoso, e o presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, desembargador Gilberto Marques Filho. 
 
O Programa Goiás na Frente aplicará, até o final de 2018, mais de R$ 9 bilhões em investimentos públicos (R$ 6,1 bilhões) e privados para obras de infraestrutura, civis e nas áreas de saúde, educação e segurança. Desse montante, R$ 500 milhões são para convênios e parcerias com as 246 prefeituras goianas – R$ 250 milhões neste ano, e R$ 250 milhões em 2018. Ao cumprimentar a diretoria da AGM e parabenizar o presidente Paulo Sérgio, Marconi afirmou que a causa do municipalismo sempre foi uma causa sua.
 
“A causa do municipalismo sempre foi uma causa minha, porque as pessoas não vivem no Estado nem na União, elas vivem nas cidades. As cidades têm que ser boas para que as pessoas possam viver bem e com dignidade, com cidadania e tranquilidade. É por isso que eu faço esse esforço para atender todos os prefeitos suprapartidariamente com convênios, com recursos; guardadas as limitações que nós temos, mas com o coração enorme, procurando atender da melhor maneira possível a todos”, declarou.
 
O governador relatou durante o encontro conversou sobre a aplicação dos recursos do Goiás na Frente com os prefeitos Iris Rezende (Goiânia), Gustavo Mendanha (Aparecida de Goiânia), e Roberto Naves (Anápolis), nesta quarta-feira (5/4), sobre a execução do programa. “Eu disse a eles: quando o prefeito de uma cidade está bem, o governador também fica bem. Então, o melhor a se fazer é trabalharmos juntos para que prefeitos e governador fiquem todos bem, porque um puxa o outro para cima”, contou.
 
“Essa é minha lógica: valorizar as pessoas que vivem nos municípios, os agentes políticos, os agentes públicos que estão em cada uma das cidades. Eu procurei ao longo da minha vida fazer isso, e fico feliz ao ver o José Eliton fazer a mesma coisa. E procuro me aprimorar no sentido de tratar bem e me desdobrar no sentido de fazer o melhor por vocês”, completou.
 
Marconi ressaltou que o auxílio aos municípios, por meio do Programa Goiás na Frente, só é possível porque o Governo de Goiás “fez o dever de casa, realizou cortes amargos, e aplicou medidas de austeridade. O governador afirmou que a administração poderia fazer ainda mais, não fosse o déficit previdenciário. “Se não fossem os R$ 2 bilhões de déficit previdenciário do serviço público do Estado, nós teríamos sobrando R$ 800 milhões só para fazer investimentos e ajudar as prefeituras”, disse. “Nosso déficit tem um nome: se chama previdência pública e também gastos com pessoal”, afirmou o governador.
 
“Basicamente, 7 milhões de pessoas trabalham hoje para bancar menos de 100 mil funcionários aposentados. Essa é a realidade. Se medidas não forem tomadas, vai chegar um tempo em que, independentemente da competência do governador, vai explodir na mão de alguém”, disse Marconi aos presentes. “É um problema estrutural”, afirmou, em alusão à reforma da Previdência.
 
Marconi homenageou o presidente da AGM com a comenda Ordem do Mérito Anhanguera, e ressaltou que ele tem sido extremamente correto na relação institucional dos municípios com o governo. “Tem sido um cumpridor de palavras, leal, além de estar sendo um excelente prefeito, com resultados concretos para o povo de Hidrolândia. Essa homenagem é merecidíssima”, disse.
 
Paulo Sérgio agradeceu afirmando que o reconhecimento dado a ele é um dos presentes mais emocionantes que já recebeu na vida. Ele também agradeceu ao governador pelo tratamento igualitário dado aos prefeitos, e pelo apoio imprescindível para que os gestores consigam desenvolver suas gestões.

Sobre Teresa Cristina [Teka]

Teresa Cristina [Teka]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*